A quantidade de horas que os adolescentes e jovens passam em frente à internet é um problema crônico que foi agravado com o avanço das redes sociais, em especial o Facebook e também o WhatsApp. As redes sociais têm se caracterizado como os principais mediadores para as comunicações entre adolescentes e jovens.

Uma pesquisa realizada por Juliano Ciebre dos Santos, intitulada “Viciados no Facebook”, publicado na revista “Nativa-Revista de Ciências Sociais do Norte de Mato Grosso” avaliou o nível de dependência dos adolescentes e jovens ao Facebook e os dados recolhidos da pesquisa deixou em alerta a comunidade médica. O autor realizou a pesquisa com adolescentes e jovens entre 13 e 18 anos, em que 85% dos adolescentes pesquisados acessam o Facebook diariamente, dos quais, 24% ficam conectados de uma a duas horas e 65% ficam conectados ao Facebook mais de duas horas por dia; 25% posta todas as atividades do seu dia, tudo, sem esconder nada (tudo mesmo); 60% afirmaram que já usaram o Facebook como mecanismo de desabafo dos sentimentos; 70% usa o Facebook como meio de passatempo. Além disso, outro aspecto que chama a atenção é que 75% referiram preferir ficar navegando na internet a interagir com pessoas do mundo real (1/4 dos pesquisados) e 25% afirmaram ter publicado algum tipo de ofensa a outras pessoas através da rede, fazendo assim o famoso cyberbulling.

Conforme já comentei neste capítulo, são indiscutíveis os benefícios das redes sociais para a sociedade, para a igreja e para as pessoas, porém, as redes sociais também tem seu lado sombrio e quero retratar aqui um alerta sobre isso.

Os perigos da exposição desnecessária

É cada vez maior o número de adolescentes e jovens que utiliza as redes sociais para fazerem ali o seu muro das lamentações. Depositam tudo na rede. Suas ansiedades, medos, desabafos, indiretas e as vezes diretas e além dessa exposição de sentimentos, muitos passam dos limites e começam a expor suas intimidades, fotos privadas, sua localização, rotina e etc.

Gente, o que anda acontecendo com essa galera de jovens cristãos, que não está pensando nos riscos desse tipo de exposição desnecessária? Ai você pode pensar: “mas isso é somente para os jovens não cristãos”… Ah mas não é mesmo meu irmão. Você está um pouco fora da realidade se está pensando assim. Todos os dias que você abre o Facebook se depara com essas atividades sendo postadas pelos jovens da igreja, sim, de sua igreja e da minha. Muitos acham completamente natural indicar passos de sua rotina e suas localizações, 24h por dia? “É isso mesmo produção?” Não dá pra entender. Não estou falando de uma postagem ou outra você indicar o local que está através do serviço de localização. Mas toda postagem? Até no banheiro meninas?

Pensa comigo: “de que adianta erguer muros altos em volta da casa, cercas, alarmes e dispositivos de segurança e deixar livre o acesso à vida pessoal através dos meios virtuais?” “Bombam” informações sobre o dia a dia, compras, visitas, fotos, relacionamentos e algumas vezes até fotos íntimas. Hei jovem, você está esquecendo que a internet é um mundo sem fronteiras e que qualquer pessoa pode ter acesso a essas informações? Ninguém anda pelas ruas distribuindo abertamente cartões com seus telefones e endereços a desconhecidos, então porque fazer isso em redes sociais?

Existem histórias de jovens que, como você, postava toda a sua rotina nas redes sociais e acabou se dando muito mal. Veja o exemplo abaixo:

Esse caso aconteceu em ilhota, Santa Catarina no ano de 2014, a pouco tempo atrás e destaco a afirmação do sequestrador: “planejei tudo acompanhando o garoto pelo Facebook”.

Meu amigo e minha amiga, repito mais uma vez o que já escrevi. Não sou radical ao ponto de dizer que você precisa parar de usar redes sociais. Nunca vou falar isso porque redes sociais são uma benção na vida de quem sabe usar. Entretanto, preciso sim alertar você leitor de que é necessário vigiar para não passar provas desnecessárias, conforme nos ensina Mateus 26.41: “Vigiem e orem para que não caiam em tentação. Jovens! Adolescentes! Vigiem com suas atitudes na rede. Vigiem com suas palavras no Facebook. Vigiem com suas postagens. Vigiem com as fotos que posta e mais importante ainda, vigiem na hora de postar toda sua rotina, para não acontecer com você o que aconteceu com o garoto de Ilhota.

“Sejam sóbrios e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar (1 Pedro 5.8).

O diabo não brinca em serviço, pode ter certeza. O diabo não brinca de ser diabo, então vigie todos os dias de sua vida para não cair na boca do leão. Eu sei que é um pouco forte o que escreverei, mas preciso dizer isso a você. Se o diabo não brinca de ser diabo, porque será que muitos jovens e adolescentes brincam de ser cristãos? Já pensou nisso? Se não pensou, pense!

Meu desejo é que o alerta de 1ª Pedro possa ecoar em nossos corações todos os dias. Que possamos ser sóbrios, ou seja, equilibrados e moderados no uso das redes sociais e da internet de um modo em geral. Não passe mais tempo da rede do que com o Espírito Santo. Não deixe seus amigos de lado por uma amizade virtual. Não troque o grupo de jovens da igreja pelo grupo do whatsapp. Além de ser equilibrados, Pedro ainda ensina a vigiar. Então vigiemos todos os dias para agradar o Espírito Santo e desagradar o diabo.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2017 Desenvolvido por Uaadescp

Se liga em nosso Facebook